Buscar
  • Rafaela Giozza

Como lançar um produto de forma rápida e barata sem perder valor?


A veia empreendedora e criativa da população brasileira é responsável pelos significativos números de startups que surgiram nos últimos anos e que se consolidaram como grandes empresas. Desde Nubank, Pagseguro e até mesmo a 99, foram ideias de negócios que surgiram pequenas, cheias de dúvidas e hoje são consideradas cases de sucesso. Da mesma forma, o estado do Rio Grande do Sul segue este caminho, só ficando atrás de São Paulo no ranking nacional de startups, segundo o SEBRAE RS.


O Estúdio LINDS percebeu esse aumento no interesse pela inovação e já vem trabalhando com pessoas empreendedoras, ajudando-as a desenvolverem suas ideias e tirá-las do papel, seja para inovar sua linha de produtos ou mesmo começar do zero. Dessa forma, o Diretor de Operações e Designer Rafael Torres levanta a discussão de um conceito muito importante nesse universo de novas ideias: Como lançar um produto de forma rápida e barata sem perder o valor percebido pelo cliente?


O problema

Quando se tem uma ideia inovadora de negócio, envolvendo um produto ou serviço, a maior dificuldade é saber quando ela estará pronta para ser lançada ao mercado. E ainda, como fazer isso sem grandes investimentos? É difícil de reconhecer, mas a resposta para a primeira pergunta é: nunca!


Quando se tem uma ideia inovadora de negócio, envolvendo um produto ou serviço, a maior dificuldade é saber quando ela estará pronta para ser lançada ao mercado. E ainda, como fazer isso sem grandes investimentos? É difícil de reconhecer, mas a resposta para a primeira pergunta é: nunca!


Um projeto de produto, por mais bem pensado e desenvolvido, nunca estará totalmente pronto para ser lançado ao mercado. A verdade é que lançar uma primeira versão do seu produto, apresentando bem a ideia e o valor do negócio, pode trazer aprendizados e melhorias. E elas serão apontadas pelos próprios usuários e por indicadores do mercado, afinal, quem melhor que o seu cliente para avaliar a sua ideia? Dessa forma, novas e melhores versões do produto podem ser produzidas para atender às necessidades percebidas. Para este conceito de desenvolvimento de produto no universo empreendedor damos o nome de Mínimo Produto Viável, ou a sigla em inglês MVP.


O que é um MVP?

MVPs são protótipos de uma ideia que, com funcionalidades mínimas, são capazes de validar seu público alvo e trazer melhorias para implementar na próxima versão do produto. Com baixo investimento e uma estratégia de design que prioriza as funções básicas do produto, é possível aprender com o cliente, ofertar valor na solução e ainda obter resultados de vendas, que é fundamental para a continuidade do negócio.


O MVP também é considerado uma etapa de validação do desenvolvimento de um produto ou serviço e, dessa forma, precisa ter uma duração estabelecida e seus resultados avaliados para que faça sentido. Na trajetória de uma startup, a etapa de MVP é precedida de uma etapa conceitual, onde a ideia de produto é apresentada a partir de uma “landing page” para capturar os primeiros interessados no produto. Após esta etapa, o produto ou serviço volta a ser aprimorado para então retornar ao mercado de forma definitiva (ou até que novas melhorias sejam identificadas).


Benefícios do MVP


Testar o produto


Você já deve ter ouvido aquela frase que diz “o papel aceita tudo”, certo? No desenvolvimento de produtos, passar do projeto conceitual para o detalhamento é quando os problemas começam a aparecer porque este é o momento que o produto começa a sair do papel. Da mesma forma, passar do projeto para a execução, e colocar a ideia no mercado, faz com que as pessoas para as quais o produto foi pensado o utilizem no ambiente para o qual se planejou e, com isso, se tenha um feedback muito verdadeiro. É preciso estar atento aos números de vendas e deixar canais abertos para que essas informações cheguem até você.


Baixo investimento


Lançar um hardware [produto físico] não é algo barato. Gasta-se com projeto, ferramentas, marketing e tantas outras demandas ao longo do processo. Além disso, a pessoa empreendedora está constantemente correndo atrás do tempo para lançar a ideia primeiro que o seu concorrente ou para conseguir apresentá-la aos investidores a tempo. Dessa forma, o MVP surge como uma solução de baixo investimento de recursos financeiros e de tempo, ao se propor a lançar uma versão do produto mais básica ainda que apresentando todas suas funções principais.


Financiar próximas fases


Como já dito, os recursos de tempo e financeiros são sempre muito apertados para startups e pessoas empreendedoras. Nesse sentido, lançar uma primeira versão do produto através dos conceitos de MVP, apresentados aqui neste post, pode auxiliar também a custear versões mais elaboradas do produto. A medida em que se consegue levantar investidores ou através das primeiras vendas, os recursos arrecadados devem ser voltados totalmente para as fases seguintes de aprimoramento para uma versão final do produto.


Receber um não


Além disso, um importante benefício de se trabalhar com MVPs é descobrir que determinada ideia não agrada ou não se adequa ao mercado e ainda há tempo de mudanças. Receber um feedback negativo do usuário ainda na fase de MVP é mais barato e demanda menor investimento de tempo. Logo, será mais fácil pivotar e mudar o foco da empresa ao perceber que não vale a pena despender recursos em determinado negócio.



4 visualizações

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Rua João Guimarães, 369 - Porto Alegre/RS - Brasil

Fale conosco | +55 (51) 98533.3512

Trabalhe conosco | Envie e-mail para design@linds.com.br

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone LinkedIn

LINDS © 2020