Buscar
  • Rafael Torres

Como escolher o processo de fabricação de cada produto?

Aqui no estúdio LINDS costumamos dizer que fazemos tudo aquilo que envolve o design de um novo produto, menos fabricar ele! Já houve momentos em que discutimos sobre a ideia de termos alguns processos de fabricação interno, mas o fato é que cada produto tem seus materiais e seus processos de fabricação. Pensando nisso, preferimos apenas escolher esta técnica e encaminhar para uma indústria especialista. E como escolher o processo de fabricação de cada produto?


De modo geral, se você já está imaginando qual processo de fabricação será utilizado é porque já selecionou o material. Caso tenha escolhido o material, é também sabido que este atende aos requisitos do produto. Finalmente, se tens a lista de requisitos, é possível concluir que eles satisfazem as necessidades do usuário da peça. Este é o caminho de trás pra frente para entendermos como chegar até a etapa final do projeto.

É impossível falar de processos sem caracterizar alguns materiais de produto. Entre os materiais mais comuns usados estão madeiras, plásticos, metais, vidro, cerâmicos e fibras têxteis. É sempre bom lembrarmos que podemos classificá-los em diversas categorias: naturais ou sintéticos, de fonte renovável ou não renovável, reciclável ou não reciclável e, até mesmo, local ou não local.


Cada um destes materiais possui diversas opções de processamento para dar forma, dimensão e características físicas para o componente final. Em cada uma delas, diferentes máquinas, ferramentas e mão de obra são necessários. Pode até parecer desnecessário falar disso tudo, mas cada item deste compõe a nossa complexa cadeia industrial, de norte a sul, seja no Brasil, na China ou em qualquer lugar do mundo.


Além das questões básicas de materiais e dos métodos para atender necessidades do usuário, é preciso levar em consideração as questões de mercado que definem o preço de venda do produto. Elas estão diretamente relacionadas ao custo da sua fabricação. Sem entrar na complexa variação de preço das matérias primas base, o custo de fabricação de um componente é inversamente proporcional ao tamanho do lote: quanto mais unidades fabricadas do produto, mais barato se torna a unidade. Quanto menos unidades, mais cara uma unidade se torna!


Esta lógica é muito importante de ser lembrada, pois alguns processos de fabricação foram desenhados especificamente para produção de grandes lotes. Normalmente estes processamentos requerem um investimento inicial para confecção de moldes de fabricação. No entanto, este valor deve ser compensado logo adiante, já que será diluído na venda das unidades do produto.


Por fim (talvez o mais importante), o impacto ambiental de cada produto tem sido cada vez mais levado em conta por usuários no momento de decisão de compra.

Portanto, esta preocupação deverá estender-se para escolha de processos de fabricação que tenham menos impacto ambiental. Por exemplo, preferindo moldagens por adição ao invés de retirada de material, reduzindo assim os resíduos.


A tarefa de escolher um processo de fabricação ideal pode não ter ficado mais fácil após todas estas considerações. Se você tinha esperanças disto, me desculpe! Mesmo assim, agora você vai estar um pouco mais preparado para tomada de decisões que esta etapa requer. Entendemos que o melhor processo de fabricação é aquele que, com menor impacto ambiental e com o investimento financeiro disponível, permita o lançamento do produto no tempo certo para as pessoas usufruírem dos benefícios que você imaginou.


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo